sexta-feira, 9 de novembro de 2012

As Mulheres Vestem Rosa ...

 

 "No mundo, ela era magrinha e de cabelos curtos; tinha quase trinta anos, um grupo de teatro e chamava-se Maria Eduarda. Morava em uma grande casa cor de rosa perto da praia. Maria Eduarda, magrinha e de cabelos curtos era  uma atriz de grande  talento: cantava, dançava e representava com alegria. Maria Eduarda era apaixonada pela vida e pelo teatro.

Certa manhã, Maria Eduarda acordou sentindo-se fraca, como se estivesse ficando doente ...

Maria Eduarda procurou um médico no mesmo dia. O médico solicitou um exame  com urgência, um exame chamado mamografia. Maria Eduarda ficou com muito medo, um medo irracional de  fazer o exame;  de saber o resultado do exame; e  do que viria depois do resultado do exame.

Nervosa, Maria Eduarda foi até a clínica e fez a mamografia.

Quando o resultado do exame ficou pronto, Maria Eduarda desmoronou: o diagnóstico foi preciso e foi escrito com todas as letras; Maria Eduarda estava com câncer de mama e precisava de tratamento imediatamente.

Foi como se o tempo tivesse parado e todas as pessoas se transformassem em  estátuas, indiferentes e caladas para sempre ... indiferentes à dor de Maria Eduarda, indiferentes à sua tragédia pessoal ...  indiferentes ao seu desejo de sobreviver mesmo diante de tanta dor!

Maria Eduarda foi internada no Hospital do Câncer, fragilizada pela doença, abandonada  à própria sorte entre uma quimioterapia e outra, sentindo pena de si mesma e da sua dor tão angustiante, tão presente, tão à flor da pele!

Um dia, a Emília  visitou Maria Eduarda no Hospital do Câncer. A boneca  trazia muitos papeizinhos coloridos e ensinou para Maria Eduarda a arte de fazer Tsurus.

(Emília ensina Maria Eduarda a fazer um Tsuru)

A boneca contou a história do origami, uma arte milenar do Japão,  e do pássaro de papel, também conhecido com Tsuru,  um símbolo de longevidade.  O Tsuru era a dobradura  favorita de Sadako Sasaki de Hiroshima, e tornou-se rapidamente a dobradura favorita de Maria Eduarda, que passava as longas tardes no Hospital entre papeizinhos coloridos, praticando a esperança, a paciência e a perseverança!

Maria Eduarda descobriu que  viver um dia de cada vez, é o melhor jeito de viver.

O tempo passou. O tratamento  fez efeito positivo e  sentindo-se novamente útil, Maria Eduarda   ensinava, à quem quisesse aprender, os Tsurus.

Um dia perguntaram por que ela fazia isso. Maria Eduarda respondeu:

- O Tsuru significa paz. Quando ele entrou na minha vida, eu precisava de paz. Por isso, ensino outras pessoas... para que a paz mude também a vida delas assim como mudou a minha. Eu os ensino porque nunca é tarde para aprender. Ensino-os que nunca é tarde para viver. 

E tudo  voltou ao normal. 

Maria Eduarda deixou o Hospital do Câncer e voltou para o  teatro entre beijos, lágrimas e abraços!

Entre amor, felicidade e amizade!

E então eles dançaram juntos novamente com o coração e a coragem do teatro mágico!" Trecho da obra de Jam Pawlak  "As Mulheres Vestem Rosa..."
Do teatro mágico para a jornada humanista de prevenção e combate ao câncer de mama, a personagem Maria Eduarda, interpretada por Julia Agnes, da obra de Jam Pawlak, “As Mulheres Vestem Rosa”,  apresentada no Orquidário Municipal de Santos. Foto: Amorim J C Amorim.