Pular para o conteúdo principal

CLUBE DE LEITURA #LEIAMULHERES EM SANTOS APRESENTA "SEJAMOS TODOS FEMINISTAS" DE CHIMAMANDA NGOZI ADICHIE



No próximo dia 26 de novembro,  acontecerá  a edição especial  do Clube de Leitura Leia Mulheres Santos, com a mediação de Jam Pawlak e Julia Mikita na Oficina Cultural Pagu,  situada na Cadeia Velha,  Praça dos Andradas S/N, Centro , no horário das 15:00 às 17:00 horas,  em  debate estará o livro “Sejamos Todos Feministas” da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, em homenagem ao Mês da Consciência Negra, com a participação da equipe do Projeto Leia Santos, promovendo o incentivo à leitura através da atividade Adote Um Livro, com livros de autoras mulheres destinados à doação para o público em geral.  

Na obra de Chimamanda Ngozi Adichie,  podemos encontrar  afirmações relevantes referentes ao direito das mulheres; "a questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente."

Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. "Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: “Você apoia o terrorismo!"  Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e - em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são "anti-africanas", que odeiam homens e maquiagem -  começou a se intitular uma "feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens".

Neste  ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Chimamanda Ngozi Adichie nasceu na Nigéria, em 1977, aos 19 anos viajou para os  Estados Unidos com o intuito de estudar. Logo os seus contos apareceram em diversas publicações e receberam inúmeros prêmios como o da BBC Short Story Competition em 2002 e o O. Henry Short Story Prize em 2003. A escritora foi condecorada em 2008, com o Prêmio “Future Award” na categoria de Jovem do Ano e recebeu uma bolsa da MacArthur Foundation, considerada a “bolsa dos gênios”, no valor de 500 mil dólares. A sua obra encontra-se traduzida em trinta e um idiomas.


"Sejamos Todos Feministas" uma obra de Chimamanda Ngozi Adichie. 


Serviço:
Leia Mulheres Santos apresenta  Chimamanda Ngozi  Adichie, edição especial em homenagem ao Mês da Consciência Negra, com a participação da equipe do   Projeto Leia Santos.
Oficina Cultural Pagu -  Dia 26 de novembro de 2016 – 15:00 horas

Cadeia Velha - Praça dos Andradas, s/n Centro – Santos – SP – Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Produção de Eventos Artísticos e Culturais na Pauta do Empreendedorismo

“Ser um empreendedor é executar os sonhos, mesmo que haja riscos. É enfrentar os problemas, mesmo não tendo forças. É caminhar por lugares desconhecidos, mesmo sem bússola. É tomar atitudes que ninguém tomou. É ter consciência de que quem vence sem obstáculos triunfa sem glória. É não esperar uma herança, mas construir uma história... Quantos projetos você deixou para trás? Quantas vezes seus temores bloquearam seus sonhos? Ser um empreendedor não é esperar a felicidade acontecer, mas conquistá-la.” Augusto Cury

Primeira turma do Curso deProdução de Eventos Artísticos e Culturais do Senac de Ribeirão Preto. Foto: Jam Pawlak.
Ainda no início  de 2017, tive a honra de integrar a primeira turma do curso de Produção de Eventos Artísticos e Culturais do Senac de Ribeirão Preto; um verdadeiro privilégio para mim e para os meus colegas. Tenho trabalhado com a produção de audiovisual há mais de quinze anos, assinando a produção executiva e os roteiros de filmes documentários. Por outro lado, a pro…

Sessão de Autógrafos do Livro Poemas de Origami na 17ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto

A 17ª Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto acontece no período de 04 a 11 de junho de 2017, com o  tema “Do Conhecimento que Liberta ao Amor que Educa”; é uma grandiosa  realização da Fundação do Livro e Leitura de Ribeirão Preto.
Na 17ª edição da Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto, os homenageados  são os renomados escritores e personalidades: - Escritor: Fernando Pessoa; - Autor Educação: César Nunes; - Autor Infanto-juvenil: Ricardo Azevedo; - Autora Local: Rosa Maria de Britto Cosenza; - Professora: Maria Ester de Souza; - Patrono: Chaim Zaher. País homenageado: Portugal.
As atividades da 17ª Feira Nacional  do Livro de Ribeirão Preto estão sendo realizadas no Theatro Pedro II, Tenda Sesc (localizada na Praça Carlos Gomes), ACI Ribeirão Preto, Biblioteca Altino Arantes, Biblioteca Padre Euclides, Centro Cultural Palace, Palacete 1922, Praça do Leitor (Praça XV de Novembro), Sede da OAB Ribeirão Preto, Sesc, Shopping Iguatemi, Sincovarp, Teatro Marista.    A sessão de autógrafos…

Oficina Temática Inês de Castro: em Defesa dos Direitos da Mulher.

"Inês de Castro nasceu em 1320 ou 1325 na Galiza, era filha ilegítima do nobre galego Pedro Fernandes de Castro, o da Guerra, e de uma dama portuguesa, Aldonça Suárez de Valadares, e irmã de D. Fernando e de D. Álvaro Pires de Castro. Por parte de seu pai era bisneta ilegítima de D. Sancho de Castela, pai de D. Beatriz de Castela que era mãe de D. Pedro, futuro Rei de Portugal. Era, portanto, prima em 3º grau de D. Pedro. Viveu parte da sua infância no castelo de Albuquerque cuja dona, que a criou como filha, era casada com Afonso Sanchez, filho ilegítimo de D. Diniz, até vir a ser aia de sua prima de D. Constança Manuel, filha de João Manuel de Castela, poderoso nobre descendente da Casa Real Castelhana e que estava prometida ao príncipe de Portugal, D. Pedro. Inês de Castro chega a Évora, integrada no séquito de D. Constança, em 1340. Desde cedo foram conhecidos os amores de D. Pedro pela dama galega. D. Afonso IV, temendo esta relação, exila-a na fronteira espanhola em 1344. Ap…